insights

Entenda o conceito de posição em Caixa e de Reservas de Valor

12.Novembro.2019

Não é raro vermos os conceitos de caixa e reserva de valor sendo confundidos, ou muitas vezes sendo mal compreendidos. Aproveitando a postagem anterior no blog sobre o tripé de riscos da renda fixa, explicamos agora as definições de Caixa e Reserva de Valor e porque você precisa compreendê-las com clareza para que sua carteira de investimentos se torne antifrágil.

O CAIXA é composto por ativos que podem ser utilizados imediatamente, é o dinheiro da opcionalidade, como denomina o autor Nassim Nicholas Taleb. Se o mercado cair forte, além de sua carteira sofrer menos, com o dinheiro do Caixa você tem liquidez para a partir da queda comprar barato. Neste sentido, o caixa serve para que você possa se proteger de potenciais cenários adversos e uma vez vivo, e com liquidez, se beneficiar deles.

Para compor um bom CAIXA, é preciso seguir os preceitos do tripé de risco: poder ser negociado com rapidez (risco de liquidez), vir de um bom emissor (risco de crédito) e ter pouca volatilidade (risco de mercado). 

Já a RESERVA DE VALOR é uma gaveta que de tempos em tempos ganha mais espaço na carteira dos grandes investidores, especialmente, em momentos em que há uma série de desequilíbrios e sinais negativos surgindo na economia global. 

Diferente do caixa, a Reserva de Valor tem características específicas que podem proteger o patrimônio das depreciações do mercado.  O ouro é o ativo de RESERVA DE VALOR por excelência, consagrado pelo tempo. Mais recentemente, desponta como uma reserva de valor o Bitcoin, considerado o ouro digital. 

Mas você pode estar se perguntando, o que estes ativos têm em comum e porquê são considerados uma reserva de valor? Ambos ativos atendem quatro características essenciais:

  • Restrição de oferta: é um ativo escasso e não pode ser multiplicado pela vontade de governantes ou BCs. Não há como multiplicar ouro ou bitcoin, a oferta está dada. São ativos que não tem característica inflacionária;

  • Liquidez: é preciso ter mercados globais para negociar o ativo com facilidade e agilidade;

  • Resistência física: ele não pode se deteriorar enquanto armazenado;

  • Precisa ter outras aplicabilidades: para ser usado como reserva de valor, o ativo precisa ter um uso além do dinheiro, como aplicações odontológicas e jóias para o ouro e no caso do Bitcoin ele é o lastro do ecossistema das criptomoedas e tem diversas aplicações como registros de autenticidade em Blockchain.

Convex

Receba nossa Newsletter