insights

Dolarização dos Investimentos: ponto de partida para a exposição aos mercados globais

17.Dezembro.2019

Em uma estratégia de diversificação da carteira de investimentos, ter parte do portfólio alocado diretamente no exterior deveria ser a regra e não a exceção. Isso porque a dolarização dos investimentos é um ponto de partida para quem quer se expor aos mercados globais e garantir a preservação do seu capital.

A Convex Research tem orgulho em ser a primeira casa de análises do país a fazer exclusivamente recomendações para o investidor brasileiro se expor aos mercados internacionais. Um serviço que costumava ser restrito à grandes hedge funds, agora é acessível também ao pequeno investidor. 

Quem pode Investir no Exterior? 

Qualquer pessoa, basta abrir uma conta em uma corretora no exterior e a partir de R$100 já será possível comprar frações das melhores empresas do mundo ou ETFs de diversas classes de ativos, como commodities e títulos de renda fixa.

No Brasil, já há opções que permitem que a remessa para o exterior seja realizada via TED do seu banco brasileiro, e em poucos minutos os recursos já estão disponíveis na sua conta no exterior, esta é a solução oferecida pela corretora Avenue Securities, empresa fundada por brasileiros e com sede em Miami, nos EUA. 

Apesar da tese da Convex Research ganhar cada vez mais adeptos no mercado, o desconhecimento sobre as opções disponíveis para investimentos no exterior ainda é o maior limitador. E ainda assim, a maior parte das recomendações de carteiras de gestores e analistas do mercado brasileiro se restringem a poucas classes de ativos e exposição limitada ao país e sua moeda, o Real. 

Seja pela falta de familiaridade com o assunto, conveniência ou conflito de interesses, ainda é disseminado o mito de que apenas investidores mais agressivos e com muito capital poderiam investir no exterior. Essa postura demonstra o quanto o setor financeiro brasileiro ainda é fechado. 

Quais as vantagens de Investir no Exterior? 

As vantagens são diversas, podemos elencar entre as principais a possibilidade de investir em países com moeda forte - inclusive se proteger das desvalorizações do real -, diversificação real do portfólio via classes de ativos não tradicionais e a possibilidade de diversificação geográfica, alta liquidez e vantagens tributárias para a pessoa física, como a isenção de imposto de renda para vendas com lucros no limite de até R$ 35 mil por mês.

Dolarizar meu patrimônio me protegerá em um crise mundial? 

Muito se fala sobre a possibilidade de ocorrer uma recessão mundial em meados de 2020, em virtude de todos os sinais que vêm se alinhando na economia. A real diversificação do portfólio, que envolve ter acesso a todas as classes de ativos na carteira, é uma das estratégias mais consistentes na preservação de capital e por isso adequada para momentos como o atual. 

Países emergentes, como é o caso do Brasil, diante de uma recessão global, não ficam imunes e sofrem consideravelmente, conforme a história já nos mostrou, afinal, o Brasil não é uma ilha,

Portanto, diante de um cenário de desequilíbrios na economia global, o investidor que deseja  proteger seu portfólio de investimentos deve ter uma exposição mínima a moedas fortes e reservas de valor.

Para encerrar os #InsightsConvex desta semana, dividimos uma frase de nosso CEO:

"Ao propor ao investidor ficar restrito ao mercado nacional, vulnerável a questões políticas e ao calendário eleitoral brasileiro, não se enquadraria em uma estratégia de diversificação de investimentos. O brasileiro precisa ser livre para escolher e ter a opção de se expor a todas as classes de ativos (ações, commodities, bonds, criptomoedas, etc) e aos mercados globais. Esta é a verdadeira diversificação, e também, o ponto de partida para se manter investidor até o último dia de vida", explica Richard Rytenband, economista e CEO da Convex Research, criador de metodologias proprietárias para análise de mercados acionários e de criptomoedas. 

Gostou do Insight desta semana? Compartilhe em suas redes e nos marque. Faça parte da comunidade Convex Research.  

 

Convex

Receba nossa Newsletter